BLOGS DO PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

RUBENS MANUEL LEMOS

RUBENS MANUEL LEMOS, natural de Santana do Matos-RN, NASCIDO A 7 DE JUNHO DE 1941, FILHO DE  José Ferreira Lemos e de Maria Bartulina Lemos. Casou-se com HELENA REALI, com quem teve três filhos: LUCIA, MARCOS WILSON e FABIO CÉSAR. Casado em segunda núpcias com   ISOLDA MARIA CARNEIRO DE MELO, com quem teve três filhos:RUBENS MANOEL RUBENS FILHO, IASMINE LEMOS, CAMILO LEMOS e DANIEL DANTAS. Militante de esquerda, candidato a governador pelo PT no pleito eleitoral de 15 de novembro 1982,  obtendo 3207  votos.Comando o programa de Rádio “A GRANDE PARADA”, na Rádio Poti, Rubens faz críticas ao Regime Militar. Tem início à perseguição que o levou ao exílio ao regime Militar no Chile, e , na volta ao Brasil, aos porões da Ditadura Militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCRB), retornou ao Brasil para ajudar um companheiro a sair do país. Acabou preso no DOI-Codi, no Recife, tendo sido barbaramente torturado. Um dos seus algozes foi o famigerado delegado SÉRGIO PARANHOS FLEURY, imagem e semelhança da repressão. Ele trabalhou nos  Rádio NORDESTE, TROPICAL, RURAL DE NATAL, TABAJARA DE JOÃO PESSOA, VILA REAL DE CUIABA e foi correspondente do Diário de Pernambuco. Rubens Lemos morreu em  4 de junho de 1989. 
FONTE: JORNAL DO SISJEM, EDIÇÃO DO DIA 27 DE JULHO DE 2011

Um comentário:

  1. Gostaria que corrigissem alguns erros:Faleceu no dia 04 de junho de 1999 em Natal /RN, aos 57 anos.Recebeu vários prêmios como jornalista, por retratar prisões, torturas e testemunhos da época de ditadura no Brasil. Um desses prêmios ele dedicou aos jornalistas. Dizia:
    “JORNALISTA NÃO FAZ DISCURSO, ACOMPANHA A HISTÓRIA. É SUJEITO E OBJETO DELA.”.

    E foi como sujeito e objeto da história , que Rubens Lemos viveu grande parte da sua vida.
    Os momentos, temas de muitas matérias, enfocaram o fato dele ser sujeito da história, uma história de torturas, lutas e vitórias.

    Aos 16 anos , como todo nordestino que sonha alto, foi tentar ganhar a vida sozinho , veio para o Paraná. Autodidata, entrou para a vida do rádio e jornal em 1958, ingressando na Radio Londrina e na Folha de Londrina. Com 19 anos já era editor do segundo caderno do jornal, onde ficou 6 anos. Ele começou fazendo esportes e terminou passando por todas as editorias e escalões do jornalismo lá dentro. recebeu o convite para ser o chefe de reportagem do jornal “Ultima Hora. Dividiu a redação com Samuel Wainer e Nilson Rimoli, os dois maiores jornalistas que segundo ele, conheceu. Paralelamente, ao trabalho no Jornal, Rubens Lemos fazia rádio.

    Agitador e contestador, liderou então o primeiro movimento grevista do rádio brasileiro, paralisando por oito dias uma das principais emissoras do Paraná, ao lado de 23 companheiros. Surgia ali o mais jovem guerrilheiro urbano.

    Em 06 de setembro de 1961 se casa com Maria Helena Reali, em 09 de julho de 1962 nasce sua primeira filha, Lucia Irene Reali Lemos, em 18 de dezembro de 1963 nasce seu segundo filho, Marcos Wilson.

    Em 1964, aos 22 anos assumiu a direção da principal emissora do Paraná, a Rádio Atalaia de Maringá e posteriormente, a rádio Atalaia de Londrina. Foi exatamente quando veio o golpe militar. Rubens se posicionou contra a ditadura.
    A sua rádio foi a única que não se submeteu às imposições dos militares. Em represália , a emissora foi tirada do ar.
    Com prisão decretada, o jornalista passou a se esconder dos militares. Foi para o Mato Grosso do Sul, atrás de um irmão, mas ao chegar lá ele já estava preso por questões políticas.
    Refugiou-se em Natal. Lá foi repórter, foi editor geral em Jornais (TRIBUNA DO NORTE E DIÁRIO DE NATAL) e nas rádios Rubens fazia narração de futebol (outra de suas grandes paixões) também teve um programa de música popular brasileira “A grande parada” Na Rádio Cabuji de Natal, considerado de grande audiência, teve o dissabor de voltar a clandestinidade. O programa vivia sob os olhares da repressão.. Rubens terminava o programa todas as noites dizendo: “até amanhã, se deixarem”. Em 28 de maio de 1967 nasce seu terceiro filho, Fábio Cesar.
    Por ajudar muitos companheiros clandestinos perseguidos pela ditadura militar, terminou novamente com a repressão na sua cola, no final dos anos 60, abril de 1969 – Envia sua esposa e seus três filhos para se esconderem em Londrina, Paraná. Depois de fugir de um cerco com ajuda de amigos, exilou-se no Chile. Ficou lá três anos trabalhando no Conselho de Desenvolvimento Social do Chile. Com o golpe militar naquele país em 1973, ele deixou clandestinamente o Chile para voltar , clandestinamente ao Brasil. Destino: Natal novamente. Lá foi delatado e acabou sendo levado para Recife, onde foi preso e torturado. Por 60 dias No DOI-CODI, conviveu com outros presos políticos, e viu muitos deles serem mortos nas celas. Rubens, também estava condenado a morrer. Na Europa foi noticiada a sua morte e houve uma denúncia pelos exilados brasileiros. Alguém que ele nunca soube quem foi, apontou seu nome e poupou-o da morte. Foi posto em liberdade no dia 21 de novembro de 1974.
    A partir desta data, não parou mais com sua luta ... e brigou pela ANISTIA de muitos companheiros que, hoje fazem parte da nossa política no cenário nacional.

    ResponderExcluir

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

PORTAL TERRAS POTIGUARES  NEWS
O QUE VOCÊ QUER PESQUISAR, VOCÊ ENCONTRA EM UM ÚNICO LOCAL, NO "PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS", A MAIOR FONTE DE INFORMAÇÕES ANTIGAS E ATUAIS DE MINHA QUERIDA E AMADA TERRA POTIGUAR, COM 20 BLOGS, 1780 LINKS, UM ORKUT, UM TWITTER, UM MSN E UMA PÁGINA MUSICAL, TOTALIZANDO 1806 ENDEREÇOS ELETRÔNICOS NA WEB. CRIADO A 28 DE DEZEMBRO DE 2008, PELO STPM JOTA MARIA, COM A COLABORAÇÃO DE JOTAEMESHON WHAKYSHON, JULLYETTH BEZERRA E JOTA JÚNIOR # 100 % NORTE-RIO-GRANDENSE. ACESSE E CONFIRA!

Quem sou eu

Minha foto
SUBTENENTE DA RESERVA REMUNERADA DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO RIO GRANDE DO NORTE E PERTENCENTE A GUARDA PATRIMONIAL DO ESTADO, NO EFETIVO DO DESTACAMENTO DA GUARDA PATRIMONIAL DE MOSSORÓ. SOU MOSSOROENSE E AMO AS COISAS DE MINHA QUERIDA E AMADA CIDADE DE MOSSORÓ - FUTURA METRÓPOLE, SOU TORCEDOR DO MEU QUERIDO E AMADO BARAÚNAS. EXERCI A FUNÇÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA NAS CIDADES DE APODI, ITAÚ, FELEIPE GUERRA, SÃO MIGUEL, DR. SEVERIANO, GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO, RODOLFO FERNANDES, TENENTE ANANIAS, MARCELINO VIEIRA E SEVERIANO MELO. SOU CASADO, PAI DE TRÊS FILHOS: JOTAEMESHON WHAKYSHON, JULLYETTH BEZERRA E JOTA JÚNIOR. TENHO UMA NETA - JÚLIA MELISSA, FILHA DE JULLYETTH E MOISÉS. AMO A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AMO AO MEU PRÓXIMO COMOA MIM MESMO, TENHO A MANIA DE PESQUISAR, LER E ESCREVER. SEMPRE PROCURO SER HONESTO E TENHO A HUMILDADE COMO MINHA PRINCIPAL ARMA PARA A MINHA FELICIDADE

EDSON NEVES

EDSON NEVES
APODI, 11/12/39 - 05/12/70

RUBENS MANUEL

RUBENS MANUEL

JOSÉ SILTON

JOSÉ SILTON

DJALMA MARANHÃO

DJALMA MARANHÃO

LIGIA SOLANGE

LIGIA SOLANGE

I N S S

I  N  S  S
O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi criado em 27 de junho de 1990. Na época, o então presidente Fernando Collor de Melo, por meio do Decreto n° 99.350, autorizou a fusão do Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência Social (IAPAS), com o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS). O INSS é, portanto, uma instituição autárquica, com todas as características propostas no Decreto-Lei nº 200/67, vinculada ao Ministério da Previdência Social (MPS). Compete ao INSS a operacionalização do reconhecimento dos direitos da clientela do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que atualmente abrange mais de 40 milhões de contribuintes. O Instituto possui em seu quadro administrativo quase 40 mil servidores ativos, lotados em todas as regiões do País, que atendem presencialmente mais de 4 milhões de pessoas todos os meses. Conta com uma rede altamente capilarizada, de cerca de 1,2 mil unidades de atendimento, as chamadas Agências da Previdência Social (APS), presentes em todos os estados da Federação. Trata-se de um mecanismo democrático, que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. A renda transferida pela Previdência é utilizada para assegurar o sustento do trabalhador e de sua família quando ele perde a capacidade de trabalho por motivo de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou idade avançada.